Pãodemia

Eu sou aquela que segue a etiqueta do oi-tudo-bem-como-vai-você em todas as minhas interações. Entretanto, desde que essa nova realidade nos foi imposta, tenho achado um pouco leviano perguntar se as pessoas estão bem, porque ninguém está “bem” de fato. Tá todo mundo buscando forças pra assimilar tudo que está acontecendo e é impossível ficar alheio às notícias, às incertezas e angústias e o que está por vir. Uma coisa é certa: não passaremos incólumes à pandemia. Muitos se agarram à fé, outros recorrem aos livros e às séries – alguns se agarram ao álcool também, é verdade. A gente se agarra onde dá. Eu tenho me agarrado ao glúten. Sim, me tornei esse clichê ambulante. Durante esse período de distanciamento social e quarentena, alimentei dúvidas, mas também fermento – esse, duas vezes por semana. É como dizem: mãe de fermento natural is the new mãe de planta.

--

--

--

"I wanna go somewhere where I can marvel at things"

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Aline Alvarenga

Aline Alvarenga

"I wanna go somewhere where I can marvel at things"

More from Medium

Hamlet and Laertes: The Poison of Revenge

Solution to Problem A4 from 1999 Putnam Math Contest

Law Experts Say Police Reform Well Over Due in Thailand

The Ungrateful Refugee