Parágrafo Vespertino

Aline Alvarenga
Oct 28, 2023

Sento num café e, à minha esquerda, uma moça está acompanhada da sua York. Pela sua agitação, julgo que a cadelinha ainda é filhote: ela está animada, fazendo festa pra quem se aproxima. Na mesa ao lado da moça, um rapaz senta-se e começa a fazer anotações no seu caderno. A todo momento a cadela vai em direção a ele e a moça, meio sem graça, diz: “Ela é desesperada por carinho!” Penso comigo: “Mas quem não é? Quem não é imediatamente arrebatado por um gesto de carinho inesperado?” Viro a página do meu livro e, quando olho para o rapaz, vejo que a cadelinha está no seu colo, lambendo seu rosto e balançando seu rabo sem parar. Penso que não há coisa mais bonita que o afeto. Ou melhor: não há coisa mais bonita que o acolhimento.

--

--