E apesar de todos os pesares, ainda há espaço para a troca.

Há a amizade, o afeto e os abraços — mesmo que virtuais.

Há também o acolhimento, a cumplicidade e o ouvido.

Há escuta.

Há silêncios compartilhados e solidões também.

Há esperança, afinal.